Manifestação pelo comércio local com fraca adesão

Os protestos decorreram esta manhã, no Cartaxo, em frente ao edifício da Câmara Municipal.

A manifestação contra as medidas restritivas do Governo e pela defesa do comércio local foi convocada por Pablo Fernandes, um cidadão de nacionalidade brasileira, residente no Cartaxo há quatro anos, que não é comerciante, e reuniu pouco mais de meia dúzia de manifestantes.

“Comércio tradicional e hotelaria pedem socorro”, ou “Restaurantes e bares à beira da falência” eram algumas das palavras de ordem que se podiam ler nos cartazes espalhados pelo edifício da Câmara Municipal.

Ao Jornal de Cá, alguns comerciantes da cidade justificaram não ter estado na manifestação porque o sábado de manhã é um dos poucos momentos em que aproveitam para fazer negócio, já que há recolher obrigatório a partir das 13 horas. Para os comerciantes a hora e o dia da manifestação não foram as melhores.

Os protestos reuniram poucos manifestantes

Filipe Vasco, gerente do café Kábulas 2, esteve presente durante os protestos e disse ao Jornal de Cá que as quebras na faturação estão a ser enormes especialmente ao fim-de-semana.

Mais artigos
1 De 516

Pessoas que passaram pelo local lamentaram, ao Jornal de Cá, a fraca adesão dos cartaxeiros, mas também dizem não ter tido conhecimento de que se ia realizar este protesto. Dos manifestantes presentes, dois são dirigentes do CHEGA, mas garantem que a manifestação é apartidária.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.