Suiniculturas não são as únicas a poluir ribeira de Pontével

A atuação do SEPNA após as últimas descargas ilegais na ribeira de Pontével acabou numa multa de 24 mil euros a duas suiniculturas, mas a poluição das linhas de água da freguesia continua a preocupar o presidente da Junta.

Depois de várias denúncias feitas pelo presidente da Junta de Pontével, ao Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, à GNR do Cartaxo, à delegação de Saúde Pública do Cartaxo, assim como ao presidente e vereadores da Câmara Municipal do Cartaxo, duas pecuárias foram autuadas por descargas ilegais na ribeira de Pontével. A última realizada a 2 de abril, denunciava que “no seguimento das chuvas sentidas no dia 1 de abril de 2020 constatou-se que foram efetuadas mais uma vez descargas, por parte de pecuárias para a Ribeira de Pontével, tendo ficado um odor nauseabundo no local e água escura ao longo da ribeira”.

Foi no seguimento desta última ocorrência que o SEPNA esteve na freguesia em ações de fiscalização nas empresas de suinicultura da freguesia acabando por multar duas delas em 24 mil euros (no total) por incumprimento das normas legais estabelecidas no que diz respeito à descarga de efluentes pecuários para o meio ambiente sem o devido tratamento.

Esta seria uma boa notícia para Jorge Pisca, fossem os efluentes das pecuárias os únicos a poluir a ribeira, mas para o presidente da Junta a questão da poluição da ribeira de Pontével deve-se igualmente à falta de saneamento básico no concelho, nomeadamente dos efluentes que vêm da Ereira e Lapa e até da sua própria freguesia, que continuam sem tratamento a desaguar naquela linha de água. “O que me continua a preocupar são as ETAR do concelho que não funcionam”, insistindo ainda na falta de análises às águas descarregadas pela ETAR de Pontével.

Preocupado com as questões ambientais da sua freguesia, mas também do concelho, Jorge Pisca diz continuar alerta e a alertar as autoridades para todas estas questões. No caso das descargas ilegais oriundas das pecuárias conta também com a população que o vai alertando para os sinais, assim como com a presença da GNR que acorre ao local sempre que é chamada a tomar conta de uma ocorrência de crime ambiental, servindo depois de testemunha ao SEPNA que é quem pode atuar nestas questões de foro ambiental.

Quanto às recentes multas às empresas, Jorge Pisca frisa que “não sou contra as suiniculturas, mas elas têm que cumprir as regras”, referindo com satisfação que há duas suiniculturas que atuam na sua freguesia “com tudo em ordem, do melhor ao nível nacional”. Depois disto, o presidente da Junta de Pontével espera que as empresas prevaricadoras trabalhem em soluções que permitam o devido tratamento dos seus efluentes para que não se voltem a verificar novos “atentados ambientais” deste género, para o bem das empresas e para o bem da freguesia.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.