“As pessoas estarão sempre no centro de tudo o que fazemos”

O Jornal de Cá entrevista João Nunes, atual presidente da União de Freguesias Ereira e Lapa e recandidato ao cargo, pelo PS, nas eleições autárquicas de 2021.

Como vê a União de Freguesias Ereira e Lapa na atualidade?
A União de Freguesias Ereira e Lapa tem sido para todos nós um enorme desafio. Desde logo porque não nasceu da vontade das pessoas de cada uma das freguesias. Como é sabido foi uma realidade imposta à revelia das pessoas, sem auscultar e sem qualquer respeito pela vontade das nossas populações e sem respeito pelas posições tomadas pelos autarcas quer da Lapa, quer da Ereira, quer da Assembleia Municipal, quer da Câmara Municipal.

Em democracia estas decisões deveriam obedecer à prévia auscultação das pessoas. Apesar desta realidade imposta pelo anterior Governo liderado pelo PSD, que o atual do PS ainda não corrigiu, tem existido da nossa parte, uma gestão equilibrada, uma gestão de proximidade às pessoas e aos seus problemas, sem discriminar nenhuma das nossas freguesias. Ao nível da educação temos conseguido manter os espaços educativos da Ereira e da Lapa em pleno funcionamento. Reforço: nenhum Jardim de Infância nem nenhuma escola encerrou nas nossas freguesias. Conscientes do que ainda temos por fazer, temos procurado, com os nossos meios, com a extraordinária iniciativa e intervenção dos encarregados de educação e em parceria com a Câmara Municipal, melhorar as condições dos espaços educativos.

Quanto aos serviços de apoio às famílias, quer na Lapa quer na Ereira contamos com um excelente trabalho desenvolvido por duas IPSS que asseguram a cobertura das nossas principais necessidades. Na Lapa contamos com o Centro de Dia e na Ereira contamos com o trabalho desenvolvido pelo Centro Paroquial que asseguram serviços de referência nas valências que desenvolvem. As nossas duas freguesias, seguindo uma tendência nacional no quadro da pandemia que ainda estamos a viver, têm sido bastantes procuradas por pessoas oriundas da área de metropolitana de Lisboa, que aqui procuram melhor qualidade de vida e maior contacto com a natureza, com a ruralidade, fora de zonas de maior risco de saúde pública para as suas famílias.

A Lapa e a Ereira são também freguesias com boas acessibilidades à principal autoestrada do país que nos liga a Lisboa e, também por isso, têm enorme potencial ao nível do turismo. Prova disso são o conjunto de investidores que nos tem visitado nos últimos anos, com o propósito de reabilitar edifícios degradados para os transformar em unidades hoteleiras de qualidade, nomeadamente, no segmento do turismo rural.

Ler
1 De 30

Ao nível do ambiente estamos hoje melhor servidos. A construção da ETAR da Lapa, que também serve a Ereira, foi um passo histórico para resolvermos um dos principais problemas que tínhamos há muito identificado. Conscientes do trabalho que ainda está por fazer quanto ao necessário alargamento da rede de saneamento para abranger ainda mais zonas das duas freguesias, sublinhamos que este investimento da ETAR que ultrapassou os dois milhões de euros, é o maior investimento de sempre nestas duas freguesias. No que diz respeito ao universo associativo quero destacar a forte dinâmica que temos em cada uma das nossas freguesias. Quer na Lapa quer na Ereira temos que ter uma palavra de gratidão e de reconhecimento a todas e a todos aqueles que diariamente trabalham pelo nosso desenvolvimento cultural e social e pela promoção das nossas freguesias por esse país fora.

Quais as suas prioridades para a União de Freguesias Ereira e Lapa?
Uma das nossas principais prioridades é concluir o processo de regularização das empresas localizadas na nossa zona industrial. Concluída esta fase, pretendemos, ainda, em parceria com a Câmara Municipal, criar condições para expandir esta zona empresarial e, assim, potenciar a proximidade que temos à excelente acessibilidade à A1 e ao eixo industrial de Aveiras. Atrair mais empresas, criar mais emprego e riqueza para as nossas freguesias é uma prioridade do nosso projeto.

Também prioritário é concluir no próximo mandato a execução do projeto de implementação de zona de lazer com parque infantil na Ereira, assim como, na Lapa, executar o projeto de alargamento do cemitério. Vamos retomar o plano de recuperação da rede viária das nossas duas freguesias que o impacto financeiro da pandemia travou. Neste ponto vamos dar prioridade a todas as estradas em pior estado.

No próximo mandato vamos retomar o CATL, valência de extraordinária importância para apoiar as nossas famílias e que teve que ser suspensa perante o contexto da pandemia que ainda vivemos. Temos a convicção que a curto prazo, com o aliviar das condicionantes que a pandemia impôs, vamos ter condições para retomar este importante serviço. Queremos também retomar o serviço de transporte, quer de utentes das unidades de saúde quer de alunos que não estejam enquadrados nos serviços de transporte da operadora regional.

Ao nível do saneamento básico vamos trabalhar para sensibilizar os residentes das nossas duas freguesias que ainda não estejam ligados à rede a fazê-lo e, queremos, de igual modo, trabalhar com a Câmara Municipal e com a Cartágua para alargar a rede de saneamento básico para as áreas que ainda não estão contempladas, sejam áreas residenciais sejam áreas industriais. Na Ereira pretendemos requalificar a antiga extensão de saúde e disponibilizar este equipamento para estar ao serviço do universo associativo e para nele se desenvolverem atividades culturais e recreativas.

O que ambiciona para a União de Freguesias Ereira e Lapa?
Pretendemos, em primeiro lugar, que as pessoas sejam respeitadas e que possam decidir o seu futuro. Que lhes seja dada voz e que possam ser ouvidas sobre esta União de Freguesias que foi imposta em janeiro de 2013. Reafirmo que é urgente dar voz às pessoas e, em democracia, respeitar a vontade dos lapenses e dos ereirenses caso pretendam voltar a ter freguesias autónomas. Ambicionamos que as duas freguesias mantenham a sua identidade, no respeito pela sua história e pelo seu património cultural.

Queremos continuar a promover o seu desenvolvimento harmonioso, orientado para a defesa do ambiente, da limpeza do espaço público e pelo aumento dos espaços de lazer que promovam o encontro e o convívio entre várias gerações. Ambicionamos que as duas freguesias mantenham uma boa dinâmica associativa e que tenham maior capacidade para atrair mais investimento e que criem mais riqueza e emprego para o nosso território. Ambicionamos melhores cuidados de saúde e o reforço da solidariedade, com especial atenção para as pessoas mais desprotegidas. Acima de tudo, queremos que todos aqueles que aqui vivem, estudam, trabalham, investem e que nos visitam, se sintam felizes nas nossas terras.

O que é que a União de Freguesias Ereira e Lapa tem a ganhar com a sua eleição?
Resido na Lapa. Foi aqui que criei a minha família. Foi nesta terra que trago no coração que dei os primeiros passos no associativismo, em que integrei os órgãos sociais da Associação Filarmónica União Lapense e do Rancho Folclórico da Freguesia da Lapa. A minha primeira experiência política foi no executivo da Junta de Freguesia da Lapa, eleito pelas listas do PS, na altura em que foi presidida pelo Senhor Manuel Barros e com o Dr. Renato Campos a presidir à Câmara Municipal. Percebi, desde então, a importância de abraçar uma missão pública e o privilégio de poder trabalhar em equipa para melhorar a qualidade de vida da nossa comunidade.

Diz o provérbio que “ninguém é bom juiz em causa própria”. Contudo, atrevo-me a dizer que o que a União de Freguesias tem a ganhar com a minha eleição é a qualidade da equipa que me acompanha e a forma como tenho exercido a presidência da Junta de Freguesia. Comigo e com a minha equipa haverá sempre a defesa da auscultação da população da Lapa e da Ereira sobre o futuro desta União de Freguesias que nos foi imposta. Continuará a existir uma cultura de abertura, de proximidade e de diálogo com as pessoas. Comigo e com a minha equipa todas as opiniões contam. As pessoas estarão sempre no centro de tudo o que fazemos. Fazer bem é o caminho que nos move. Connosco a solidariedade continuará a ser exercida. Haverá sempre preocupação em cuidar dos mais desprotegidos da nossa comunidade, de ajudar quem mais precisa. Perante as dificuldades e as adversidades o trabalho continuará a ser a palavra de ordem. Estamos motivados para continuar a trabalhar, ultrapassar os problemas que a pandemia ainda nos coloca, ajudar quem mais foi afetado e fazer a nossa parte para relançar a vida das nossas empresas, do nosso comércio, da nossa restauração, das nossas coletividades, para relançar a vida das pessoas.

* União de Freguesias Ereira e Lapa
A União de Freguesias Ereira e Lapa foi criada pela da Lei 11/2013, de 28 de janeiro, que deu cumprimento à obrigação de reorganização administrativa do território das freguesias constante da Lei 22/2012, de 30 de maio. Tem uma área de 12,62 Km2, com cerca de 1 800 habitantes, e uma densidade populacional de 141,7 hab/km2.

Pode gostar também