Alimentação sustentável

Os produtos biológicos são amigos do ambiente, são produzido de modo sustentável, com respeito pela biodiversidade. São mais apetitosos, mais saborosos e não têm aditivos químicos prejudiciais à saúde. O pior é mesmo o preço

A agricultura biológica é um modo de produção agrícola sustentável, amiga do ambiente, baseado na atividade biológica do solo, cuja base de fertilização consiste na incorporação de matéria orgânica, excluindo o uso de adubos e outros produtos químicos. A agricultura biológica respeita, igualmente, o bem-estar animal e a relação dos animais com a terra, procurando também, deste modo, obter alimentos de qualidade (em termos de segurança alimentar, valor nutricional e sabor) e potencialmente mais saudáveis.

Manter o equilíbrio ecológico
Assim, os alimentos biológicos são todos aqueles que provém de um modo de produção agrícola que respeita o meio ambiente e a biodiversidade. São obtidos através de práticas que minimizam a utilização de agroquímicos e evitam a degradação do ambiente e dos ecossistemas: a cultura é conduzida de forma a evitar o esgotamento dos solos e a respeitar o equilíbrio ecológico, sendo proibida a utilização de pesticidas e adubos químicos de laboratório. Neste tipo de produção só são permitidos produtos orgânicos.

Nos animais de criação, há regras que restringem o número de tratamentos com medicamentos veterinários convencionais e obrigam a respeitar um prazo mais longo antes de abater o animal. Estes animais são criados em pastos, com alimentação vegetal e biológica, seguindo o seu ciclo natural; a inseminação artificial não se aplica, nem se utilizam hormonas para regular as ovulações.

Não podem usar-se aditivos alimentares no processamento e conservação de todos os produtos biológicos, que têm que ser fiscalizados e certificados por empresas, que verificam o cumprimento das regras da agricultura biológica.
Para que estes produtos sejam comercializados como orgânico ou biológico, dentro da União Europeia, têm de estar devidamente certificados.

Mais ou menos nutritivos?
Alguns estudos afirmam que os alimentos orgânicos são mais ricos em determinados compostos, nomeadamente antioxidantes, vitaminas e minerais. No entanto, há outras teses que defendem não haver grandes diferenças nas características nutricionais dos alimentos orgânicos comparativamente aos alimentos convencionais. Ainda assim, os consumidores destes produtos estão certos de que não estão a consumir alimentos que estiveram expostos a herbicidas e pesticidas, tendo a garantia de que não houve manipulação genética em nenhuma fase na produção destes alimentos.

Ler
1 De 38

Mais caros
Há várias razões que explicam o facto destes produtos serem mais caros que os provenientes de produções convencionais. Em primeiro lugar, o rendimento destes produtos é menor; tende a estragar-se mais rapidamente do que os que são tratados quimicamente, havendo uma maior parte da produção rejeitada. Por outro lado, como a produção ainda é limitada, a rede de distribuição pouco explorada agrava os custos.

O preço é a principal desvantagem dos alimentos biológicos, sendo a ainda escassa a oferta da grande diversidade destes artigos um motivo para uma menor adesão. Contudo, a comercialização destes produtos nos grandes supermercados, assim como os serviços de entrega a casa, de produtos exclusivamente biológicos, dão cada vez mais nas vistas. Também os mercados periódicos de produtos biológicos começam a ser comuns nas grandes cidades, proporcionando uma maior aproximação aos consumidores.

O ambiente agradece
A prática da agricultura biológica traz inúmeras vantagens ao meio ambiente, proporcionando a sustentabilidade dos diferentes ecossistemas, principalmente, por não libertar pesticidas sintéticos para o ambiente, que podem contribuir para a destruição de plantas, insetos e animais.

Pode gostar também