Termómetro de Esquerda #12

O termómetro de esquerda é um espaço de opinião de Vasco Miguel Casimiro. Um espaço que será local, regional, por vezes nacional e até internacional. Um espaço de reflexão, de partilha, que não pretende ser imparcial nem unânime.

Investir na Escola Pública para apostar no nosso futuro coletivo.
A assinatura do acordo de colaboração entre o Município do Cartaxo e o Ministério da Educação, concretizada recentemente, representa mais um passo fundamental para a necessária, e tão esperada, requalificação da nossa Escola Secundária do Cartaxo, que celebrará 40 anos em 2020.

Aquando da celebração do centenário da República, em 2010, esteve no terreno o maior investimento na requalificação do parque escolar de que há memória, com cerca de 460 Centros Escolares construídos e 400 Escolas Secundárias modernizadas ou em fase de requalificação. Uma homenagem aos ideais republicanos, tendo a Escola Pública como centro criador de igualdade de oportunidades, corrigindo as desigualdades sociais e promovendo o acesso a um sistema de ensino universal e tendencialmente gratuito.

A Escola Secundária do Cartaxo, incluída na Fase 4 do Programa de Modernização Escolar, assim anunciada em 2010/2011, encontrava-se contemplada com adjudicação e execução de projetos, com prazo previsível até final de 2011/início de 2012. Após as eleições legislativas de junho de 2011, com o Prof. Nuno Crato enquanto Ministro da Educação e Ciência de um governo PSD/CDS, foi suspensa a adjudicação de projetos de 94 escolas que estavam integradas na Fase 4, onde constava a nossa Escola Secundária. Estava escrita a página “negra” desta história, deste longo processo.

De 2011 a 2015, sabemos bem qual foi o tipo de aposta na educação e na Escola Pública: nula e inexistente!

Felizmente, após 2015, com um governo do PS, suportado por uma maioria parlamentar de esquerda, até à presente data contabilizam-se cerca de 700 escolas intervencionadas, onde as obras foram concluídas, estão a ser concluídas ou estão a decorrer.

Mais artigos
1 De 244

É certo que, atualmente, não existem obras na nossa Escola Secundária. É certo que o procedimento administrativo, até se alcançar o próximo objetivo, será longo e demorado.

Mas, neste momento, existe algo muito importante. Além de existir uma esperança reforçada na concretização, existe algo que ficou “suspenso” durante 4 anos pelo anterior governo – de 2011 a 2015 – mas que nunca foi abandonado pelo Município do Cartaxo. Existe mais luz ao fundo do túnel. Existe agora a real intenção e vontade deste governo do PS, materializada com este passo decisivo, com financiamento definido entre as partes.

De acordo com informação municipal, as obras terão um investimento de cerca de um milhão e quinhentos mil euros, financiados em 85% por fundos comunitários e 15% divididos entre o município e o ministério, significando um investimento de cerca de cento e dezasseis mil euros para o município.

Apesar das graves restrições financeiras, o Município do Cartaxo continua a investir na melhoria dos equipamentos escolares, nomeadamente em obras de manutenção, reparação e criação de novas condições nas escolas de ensino básico e jardins de infância do concelho, sem esquecer as duas EB 2,3 de Pontével e Cartaxo. O município tem estado sempre do lado certo da história.

Quando chegarmos aos dias mais esperados desta “longa história” – leia-se o dia do início das obras e o dia da inauguração da requalificação da nossa Escola Secundária do Cartaxo – veremos novamente quem ficará do lado certo da história, de quem aposta e investe na educação e na Escola Pública.

Estou convicto que os cartaxeiros ficarão deste lado da história, do único lado existente: o lado de quem aposta no nosso futuro coletivo!

*Artigo publicado na edição de setembro do Jornal de Cá.

Pode gostar também
Comentários
Loading...