Viva a vida ao máximo

A maior parte das pessoas não dá por ele, mas o nosso relógio biológico domina cada minuto, hora e dia da nossa vida. Define o funcionamento do nosso corpo e o modo de vermos o mundo

head-746550_1280O nosso relógio interno controla a nossa perceção do tempo, 24 horas por dia, 365 dias por ano, é assim, o nosso ciclo natural. Somos dominados pelo tempo e o tempo regido pelos ritmos biológicos do nosso corpo.

A nossa rotina diária é marcada pelos ritmos do relógio biológico. Temos, no nosso cérebro, um relógio interior que ativa todos os sistemas do nosso corpo, um mecanismo biológico que controla o que fazemos e a eficiência com que o fazemos. A região que controla os ritmos biológicos é o hipotálamo anterior, esses ritmos biológicos são de 24 horas, chamados ciclos circadianos.

A sequência das horas do dia, coordena este mecanismo, que está presente em todos os seres vivos, regulando os horários de dormir, acordar, comer, as atividades do organismo como a temperatura corporal, esvaziar a bexiga, o intestino, e também a de produzir hormonas como o cortisol, a melatonina e a hormona do crescimento.

O relógio biológico diz ao corpo o que fazer ao longo do dia, muitos dos nossos impulsos internos surgem porque é ele que nos diz quando fazer essas coisas, regulando a periodicidade de funções naturais, incluindo o sono e o estado de consciência.

Muitas pessoas apresentam, em grau maior ou menor, alterações do sono, apetite, energia e humor que podem estar ligadas às variações da luminosidade do dia.

Mais artigos
1 De 2

A luz desempenha um papel vital no nosso comportamento. É o fator externo que mais influi na regulação do nosso relógio interno. A luz atua sobre o nosso biorritmo, iniciando muitos dos processos químicos do corpo, como por exemplo a tensão arterial, que é mais baixa à noite que durante o dia.

O nosso corpo está preparado para a vigília durante o dia e o repouso à noite, expor-se à luz logo de manhã irá acelerar o seu relógio interno e ajudar a levantar-se mais cedo ao paço que a luz da tarde irá abrandá-lo, se ficar acordado e exposto à luz durante a noite força o organismo a alterar o seu ciclo natural, regido pelos ciclos circadianos. Essas mudanças provocam uma dessincronização entre o relógio interno e os indicadores temporais externos, como a luz natural.

Para manter uma boa saúde é fundamental que o nosso relógio biológico esteja sincronizado. A hora do descanso, especialmente do sono e do repouso semanal, é importantíssima para manter as funções biológicas no ritmo certo. Uma rotina irregular pode, a longo prazo, desregular as funções biológicas e colocar o corpo sob stresse. Estudos indicam que a descoordenação entre o estilo de vida e a biologia do corpo pode ter consequências graves para a saúde e pode levar ao aparecimento de doenças, tais como; gastrites, depressão ou distúrbios do sono.

O ritmo da vida moderna leva-nos a ignorar o relógio interno. Mas é importante termos em conta que manter o relógio biológico sincronizado é fundamental para preservar a saúde e a qualidade de vida. Colabore com o seu relógio.

Como o nosso corpo sabe as horas do dia

manhã
De manhã é quando pensamos com mais clareza, estamos mais atentos às coisas, temos mais capacidade de concentração e somos mais imaginativos. A produção da hormona cortisol é mais elevada de manhã, o que deixa o nosso cérebro mais alerta.

mannequin-804567_1280Os nossos vasos sanguíneos não dilatam tão bem de manhã como à tarde ou ao princípio da noite, por isso o sangue faz mais força para chegar ao coração. Nas primeiras horas a seguir ao despertar, entre as seis e o meio dia, a tensão arterial sobe. Para pessoas com problemas de tensão as primeiras horas da manhã podem ser perigosas. Por isso, vá com calma durante a manhã, talvez compense guardar os seus esforços para depois de almoço.

tarde
À tarde os nossos ritmos alteram-se de novo. A sonolência que muitos sentimos depois do almoço tem a ver com uma baixa natural do nosso estado de vigia, que se agudiza mais se tivermos dormido mal de noite. Um ‘microssono’ apodera-se de nós ao princípio da tarde. As pálpebras começam a ficar pesadas. Fomos naturalmente concebidos para termos dois períodos de sono, um mais longo de noite e um mais curto à tarde.

A meio da tarde, a temperatura do corpo aumenta e o grau de alerta também. A oscilação da temperatura causada pelo relógio interno leva a que a temperatura do corpo, tal como o desempenho, seja mais elevada ao fim da tarde e ao principio da noite. É mais fácil explorar as suas capacidades físicas ao fim do dia, por isso, reserve as sessões de exercício para final da tarde de maneira a conseguir um melhor desempenho.

noite
É benéfico para o organismo ingerir a maior parte das calorias ao pequeno almoço e ao almoço e comer menos ao jantar, à noite o corpo está-se a preparar para dormir, não para comer, não para entrar em ação.

Depois de um dia pleno de atividade, o relógio interno começa a abrandar, por isso é que ao anoitecer nos sentimos cansados e começa a apetecer deitar. À medida que a noite chega, a temperatura corporal diminui, a tensão arterial também e o metabolismo prepara-nos para descansar.

Entre as duas horas e as quatro horas o funcionamento do organismo está reduzido ao mínimo, por volta das quatro horas da manhã, a atividade metabólica atinge o seu ponto mais baixo, esta é a hora da noite mais popular para os nascimentos. Nascem mais bebés de parto natural entre as três e as cinco da manhã do que a qualquer outra hora do dia. Nessa altura da noite o nosso corpo está extremamente descontraído e a temperatura corporal é baixa, por isso a sensibilidade à dor é menor e é um bom momento para dar à luz.

No final das 24 horas do dia o nosso relógio biológico interno concluí um ciclo, mas logo recomeça um novo.

aumentar a longevidade
O cardiologista Vitor Paulo Martins assegura que “a nossa longevidade e o nosso bem-estar está intimamente relacionado com o nosso relógio biológico”. Segundo o cardiologista e arritmologista do Hospital de Santarém, “a frequência cardíaca é um fator de risco, tão importante como o tabagismo e a hipertensão. O seu controlo tem implicações diretas na presença de doença cardiovascular”.
A descoordenação entre o estilo de vida e a biologia do corpo pode ter consequências graves para a saúde. “Agredimos constantemente o nosso organismo com comportamentos não saudáveis e estamos expostos a agentes (radiações, vírus, bactérias, químicos) para os quais as nossas defesas são, muitas vezes, insuficientes. A adoção de estilos de vida mais corretos, a identificação dos agentes nocivos e o seu tratamento reflete-se no aumento da nossa longevidade”, explicou o médico.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.