Contas de Vale da Pinta estão consolidadas

Pedro Ribeiro, presidente da Câmara do Cartaxo, sublinhou que "somos o único partido, no concelho do Cartaxo, que presta contas", apesar de a sala registar pouca afluência

O PS Cartaxo realizou esta quarta-feira, 21 de novembro, em Vale da Pinta, mais uma sessão da iniciativa PS Cartaxo Presta Contas, que tem vindo a percorrer as diversas localidades do concelho, com o objetivo de fazer o balanço de um ano de mandato autárquico.

“O nosso executivo tem primado por manter o equilíbrio financeiro da União de Freguesias e, ao mesmo tempo, podermos responder, de alguma forma, à exigências e aos pedidos da população”, disse Délio Pereira, presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta, acrescentando que “estamos animados e convictos que a fase pior já passou”.

O autarca disse, igualmente, que as contas estão mais consolidadas, “não estando, ainda, devidamente saneadas, mas estão consolidadas. Em termos de passivo, dos 180 mil euros que herdámos, resta-nos pagar 14 mil. Foram quatro anos de esforço para o pagar. Ao nível do Orçamento, penso que 2019 vai ser um bocadinho mais folgado, tendo em conta o aumento que tivemos por parte do governo central”, o que pode contribuir “para um maior desafogo”, terminou Délio Pereira.

Pedro Ribeiro, presidente da Câmara do Cartaxo, sublinhou que “somos o único partido, no concelho do Cartaxo, que presta contas”, apesar de a sala registar pouca afluência.

O autarca acrescentou que o PS é o único a desenvolver estas ações porque “estas coisas dão trabalho, porque nem sempre as pessoas estão disponíveis para vir para o frio, num dia de semana, onde no dia seguinte se trabalha, discutir política”.

Se “houvesse uma grande indignação em relação ao que está a ser feito, não tenho dúvidas nenhumas, mobilizaria mais e, com toda a certeza, teríamos esta sala completamente cheia. Eu gosto de interpretar esta sala com pouca gente como um sinal que aquilo que está a ser feito nesta União de Freguesias corresponde às expectativas das pessoas”, salientou.

Ler
1 De 7

E uma dessas expectativas, no que respeita a Vale da Pinta, era o arranjo da zona das Lameiradas, finalmente concretizado, depois de mais de 30 anos sem qualquer intervenção, “mas tal como houve verbas para resolver a situação das Lameiradas, e quem ali vive sabe o estado degradante em que as pessoas tinham de transitar, também temos aqui duas ou três situações sinalizadas que, de igual modo, vamos resolver”, garantiu Pedro Ribeiro.

Pode gostar também