Omega 3 essencial à vida

sushiSão vários os estudos que demonstram as mais-valias das gorduras Ómega 3 para o organismo humano. Presentes em alimentos como o peixe, nozes e óleos, estes ácidos gordos essenciais proporcionam efeitos biológicos numerosos

Os nutricionistas são unânimes quando afirmam que o ómega 3, pertencente ao grupo dos ácidos gordos essenciais polinsaturados, é um elemento essencial para a saúde humana, acima de tudo para o bom funcionamento do cérebro. A sua ingestão deficitária afecta a visão, aprendizagem, coordenação e humor, podendo mesmo ser um motivo para problemas de depressão.

Os ácidos gordos ómega 3 são ainda influentes na coagulação sanguínea, proporcionando uma maior fluidez do sangue, daí o seu efeito positivo ao nível das doenças cardiovasculares. E, apesar de não diminuírem os níveis de colesterol, baixam os triglicéridos, um problema frequente entre as mulheres de meia idade.

Mas os benefícios do ómega 3 não se ficam por aqui: a sua ingestão poderá contrariar problemas cutâneos como eczemas, assim como ajudam a diminuir os sintomas associados à síndrome pré-menstrual e oferecem uma acção anti-inflamatória.

Uma alimentação equilibrada permite obter 50 por cento de redução nas doenças cardíacas e também auxilia em 40 por cento na redução de inflamações e alergias. Estudos indicam que estes nutrientes reduzem, em mais de 50 por cento, o risco de cancro; aumentam a resistência ao stresse, ansiedade e perturbações depressivas, tendo um efeito benéfico na prevenção da doença de Alzheimer.

POÇÃO MÁGICA

Mais artigos
1 De 49

Já percebemos que os ácidos gordos polinsaturados são nutrientes indispensáveis na manutenção da saúde e na prevenção de doenças. Isto porque um ácido gordo é a unidade básica de constituição de um lípido ou gordura. Neste caso, falamos das gorduras saudáveis, constituintes naturais das gorduras animais e vegetais, essenciais à vida.

Existem duas famílias de ácidos gordos polinsaturados: ómega 6 e ómega 3. Em ambos os casos, o organismo humano não consegue sintetizá-los, tendo de ser obtidos através da alimentação, de forma equilibrada, visto que o ómega 6 encontra-se em alimentos (óleos e gorduras da carne), que quando ingeridos em excesso potenciam o aparecimento de doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro.

Como tal, a alimentação diária deve conter as principais fontes de ómega, como o peixe (salmão, arenque, cavala, anchova, atum, entre outros), alguns azeites de origem vegetal, nozes, entre outros frutos secos e sementes. Há depois outros alimentos, como o leite, enriquecidos com suplementos de ómega 3 que ajudam a obter estes nutrientes.

ONDE ESTÁ

O ómega 3 encontra-se, entre outros, no óleo de linhaça, nas sementes e peixes gordos, como cavala, arenque, salmão e atum. Está ainda presente nas nozes que, apesar de terem um elevado valor calórico, beneficiam a saúde cardiovascular e optimizam o funcionamento do sistema nervoso. O abacate não só contém vitaminas do complexo B como é fonte de um outro ácido gordo (Ómega 6) que impede a formação de coágulos e ajuda a baixar a tensão. O ideal será comer peixe três a quatro vezes por semana e, em vez de manteiga, deve-se acompanhar o pão (preferencialmente de centeio, ou mistura) com um punhado de nozes.

AS BOAS GORDURAS

Os ácidos gordos essenciais são fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo, que é incapaz de os produzir. Estes ácidos, conhecidos cientificamente como ácidos gordos polinsaturados, estão divididos em ómega 6 e ómega 3.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.